Arquivo de etiquetas: Meiji Jingu Shrine

Sozinha em Tóquio por um dia – Parte I

De volta a Tóquio antes de seguir viagem de regresso ao Koweit. Tempo para escolher o que quero mesmo visitar e para desfazer alguns mitos ao perceber a verdadeira interacção possível com os japoneses. No final do dia, tive várias certezas. Mas começando pelo princípio: a seguir ao duche, desci do décimo quarto andar para um simpático pequeno-almoço e dirigi-me à estação de Kyobashi, linha laranja com destino em Omotesando. Descobri a claridade da rua mesmo à entrada da Apple, numa das zonas mais movimentadas do distrito para me fundir na multidão a caminho do Yoyogi Park mas primeiro, uma paragem no Tokyo Plaza: a colmeia de espelhos. Ou, aquele lugar onde consegui imaginar-me no interior de um caleidoscópio. O parque Yoyogi é um espaço de famílias ao fim-de-semana, onde os piqueniques, os desportos e o ruído das crianças abundam. Assisti a uma sessão de aeróbica ao ar livre e a um senhor que pintava a paisagem. Segui a pé para o Santuário Meiji em Shibuya: outro lugar agradável para caminhar desde o shrine à entrada, parando para observar os barris gigantes de sake embrulhados em palhinha e outras surpresas que me aguardavam. Os japoneses são tão simpáticos que me abordaram durante momentos-selfie oferecendo-se para me fotografar. Às vezes aceitei, outras não. É, porém, curioso que nunca me tenha acontecido em nenhum outro país. Mas a generosidade nipónica neste dia vai mais longe, e conto na cerimónia à qual tive a honra de assistir. Devido à trovoada e ameaça de chuva decidi parar para almoçar num recinto próprio para isso no centro do parque, depois fui explorar o santuário. Entre todas as imagens que retive, fascinou-me uma árvore em particular.

IMG_3270_copyIMG_328520190504_12021820190504_121312IMG_3292IMG_3296IMG_3297IMG_3306_copy20190504_12565320190504_125702_sqrIMG_3308_copyIMG_3314_copyIMG_3320_copyIMG_3332_copyIMG_3334_copyIMG_3342_copyIMG_3344_copyIMG_3336IMG_3364IMG_3433IMG_3438IMG_3489IMG_3492IMG_3493IMG_3530IMG_3535IMG_3550IMG_3560IMG_3578IMG_3582IMG_3585IMG_3587_copyIMG_361520190504_132942

Casamento Tradicional Japonês

Tocou-me no ombro, parei de andar e voltei-me para trás. O senhor devia ter sessenta anos, era japonês e sorriu-me dizendo baixinho: – Traditional wedding ceremony, apontando para a minha minha direita. E abanou a cabeça como quem diz – Vai ver. Então voltei-me, olhei para a minha esquerda, e vi ao longe, entre as árvores, uma mulher com um traje vermelho comprido, um manto (Irouchikake) e fotógrafos. É um casamento, pensei, depois sorri para o senhor e agradeci-lhe enquanto nos despedíamos com as vénias que se entregam respeitosamente nesta cultura. Acabei por descobrir que eram na realidade 2 casamentos a acontecer mais ou menos em simultâneo. Mas o que teve importância para mim foi a forma como tudo aconteceu. De certa maneira, destaquei-me na multidão. Se não fosse aquela alma reparar nos meus traços europeus e avisar-me, acho que teria perdido isto. Nem tão pouco eu sabia que se cumpriam aquelas cerimónias ali. O senhor partilhou comigo a tradição da celebração de um casamento xintoísta. Este gesto marcou-me. Era a forma de ele dividir o amor da sua cultura com o mundo exterior representado por mim. E em todos os dias passados no Japão, senti este como um dos momentos mais importantes. O meu destino alterou-se naquele instante. Primeiro, pela surpresa de ter sido interpelada no meio de uma multidão, o que me fez alterar o lugar para onde me dirigia. Depois, porque percebi que os japoneses são um povo diferente com quem nos conectamos imediatamente, são orgulhosos no sentido patriótico, interessados em cuidar do que é deles e generosos. E, finalmente, porque aprendi pelo que vi e pelo que pesquisei de seguida sobre estes casamentos, com algumas diferenças como em todo o lado se celebrados mais elevados da sociedade. Curioso o nome do chapéu da noiva, wataboshi; diz-se que os cabelos devem ser levados escondidos pois residem neles espíritos, mas os cabelos vão envoltos primeiro numa rede debaixo da peruca que vemos. Não é por acaso que o Japão atrai o resto do mundo. É uma cultura fascinante com mistérios escondidos em tecidos sem rugas, imaculados e onde todos os detalhes contam a sua história.

20190504_135853IMG_3444IMG_3469IMG_3477IMG_3442IMG_3454IMG_346520190504_140632IMG_3495IMG_3497IMG_3502IMG_3506IMG_3511IMG_3514

IMG_3517IMG_3518IMG_3519